Retrospectiva: as Oficinas de Design dos três primeiros Ciclos de Trabalho

Ciclo de Trabalho 1 Ciclo de Trabalho 2 Ciclo de Trabalho 3 Oficina de Design Vídeos
Cover sistema pu%cc%81blico de relacionamento com o cidada%cc%83o
Momento durante a Oficina de Design 3 do projeto.

O início do Ciclo de Trabalho 3 é um bom momento para fazermos uma retrospectiva das Oficinas de Design desenvolvidas até agora no projeto, já que as três primeiras oficinas – somadas aos estudos feitos anteriormente – são também o alicerce do projeto, pois ajudam a Caiena e a Controladoria e Ouvidoria Geral do Estado (CGE) a entender quem são as pessoas que usam os serviços de atendimento público e quais são as informações que eles buscam. 

A primeira oficina aconteceu ainda em dezembro de 2016, no dia 16, e teve como convidados cidadãos, jornalistas, pesquisadores e funcionários do setor público. A atividade principal era conhecer e apontar melhorias no plano de trabalho do projeto – quase como a revisão de uma lista de tarefas: entender tudo o que tem para ser feito, organizar a sequência em que cada tarefa acontecerá de acordo com a sua importância naquele contexto e, se necessário, retirar ou adicionar novos itens.  

Essa articulação ajustou o projeto às expectativas da Caiena e da Controladoria e Ouvidoria Geral do Estado (CGE), mas foi também o primeiro passo para estabelecer um relacionamento de confiança com os cidadãos do Ceará. Todas as alterações sugeridas no evento foram registradas no Relatório do Ciclo de Trabalho 1 e cada qual recebeu um posicionamento em relação à sua adoção ou não no projeto. 

A fim de capturar as percepções pessoais e impactos das atividades nos participantes, algumas entrevistas foram gravadas em áudio e vídeo. Essa atividade foi feita com quatro participantes, que se dividiam entre usuários do sistema, técnicos públicos e um representante do Banco Mundial. Para ter uma ideia do que aconteceu no encontro, vale assistir o vídeo do evento: 

Já a Oficina de Design 2 reuniu profissionais das áreas de Ouvidoria e Transparência, Comunicação Social e Tecnologia da Informação, representantes da sociedade civil e cidadãos que já são usuários dos sistemas de relacionamento do governo – seja presencial, por carta, internet ou telefone. O evento aconteceu em Fortaleza, em 4 de janeiro de 2017. 

Nessa oficina, a atividade era imaginar quem são as pessoas que usam os sistemas de Relacionamento do governo e o que elas procuram quando fazem uma sugestão, reclamação ou solicitação. Mas tão importante quanto reconhecer o usuário desses serviços, é entender quem são as cidadãos que não utilizam os sistemas de relacionamento do governo – acham que sua solicitação será atendida? Não sabem onde buscar informação?

Por isso, os participantes criaram personas (perfis fictícios que representam pessoas reais) sobre quem seriam tanto os usuários, quanto os não usuários do sistema. Para cada um deles, foi definido nome, idade, ocupação, renda, local de nascimento, cidade onde reside, escolaridade, familiaridade com o uso de computador, internet e celular, suas principais demandas e reclamações e suas motivações e objetivos enquanto cidadão. Para ver como a atividade aconteceu, vale a pena assistir o vídeo feito no dia:

A longo prazo, a identificação desses personagens é utilizada para organizar e priorizar as funcionalidades do Sistema Público de Relacionamento – motivo pelo qual foram planejadas para o Ciclo de Trabalho 2 do projeto. No entanto, seu efeito imediato era ser um ponto de partida para o estudo etnográfico do ciclo de trabalho seguinte. Além disso, todas as informações da oficina foram organizadas e a partir delas surgiram algumas hipóteses. Esse conteúdo foi registrado no Relatório da Oficina 2, incluso no Relatório do Ciclo de Trabalho 2. 

A Oficina de Design 3, que aconteceu na sexta-feira, 27 de janeiro, aproximou novamente os públicos de interesse do projeto: cidadãos, jornalistas, servidores públicos e especialistas das áreas de Ouvidoria, Transparências e Finanças Públicas. Antes do início da atividade, a equipe da Caiena apresentou uma análise dos dados obtidos na Oficina anterior para expor as hipóteses que foram levantadas então.

Essas hipóteses podiam funcionar como uma direção para o exercício proposto na terceira oficina, mas não eram limitantes – os participantes poderiam também citar pessoas que estavam fora das hipóteses levantadas. A tarefa era citar pessoas e lugares que pudessem contribuir com a pesquisa etnográfica do projeto. 

Para isso, os cerca de 40 participantes foram divididos em cinco grupos. Cada grupo recebeu um tabuleiro que continha as Mesorregiões do Estado: Noroeste, Norte, Sertões, Centro-Sul, Sul, Jaguaribe e Região Metropolitana de Fortaleza. A partir do mapa, os participantes poderiam indicar cidadãos de cada uma das regiões e explicar o porquê aquela pessoa poderia contribuir com o desenvolvimento do projeto na fase de pesquisa etnográfica. Outra opção era citar locais – como hospitais, por exemplo – que pudessem ser fonte para a pesquisa. Se quiser conferir, o material usado para a atividade está aqui neste post.  

Ao final da atividade, cada grupo apresentou as informações que havia colhido para todos os participantes – e boa parte delas está sendo usada enquanto você lê esse texto. Nossa equipe está em campo realizando a pesquisa etnográfica e deve consultar, nos devidos momentos, as fontes sugeridas no exercício. 

Todos os resultados da Oficina e da própria pesquisa etnográfica, no entanto, serão sistematizados e inclusos no Relatório de Trabalho do Ciclo 3 e, em breve, aparecerão por aqui também! 

Acompanhe o andamento do projeto também pelo Facebook da Caiena e pelo site da CGE. 

Clique aqui e inscreva-se em nossa lista para receber as novidades do Sistema Público de Relacionamento com o Cidadão do Ceará.